sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Na terra dos Faraós

Ah, meus amigos, não há nada melhor do que um bom jantar, numa noite de quinta-feira, em casa, acompanhado de um bom vinho egípcio ...

Vinho egípcio, eu disse ? Ora ! Mas, existe vinho egípcio ?!?

Pois é, existe, sim .. Eu também não conhecia. Meu caro amigo Gerson, que fez uma viagem maravilhosa pela África, de sul a norte, por quase dois meses, me trouxe de presente uma garrafa de ... vinho egípcio !

Confesso que eu jamais tinha ouvido falar de vinho egípcio. Este que bebi é um Château des Rêves Cabernet Sauvignon 2008. Segundo o contrarrótulo do produtor, o vinho leva também uma pequena proporção de uvas carignan e syrah.

Em tempo : gostaram do nome do vinho ? Château des Rêves - o Castelo dos Sonhos ! Bem, pelo menos pretensão não falta a esses egípcios ...

E que tal o vinho ? Muito fraco, infelizmente, muito fraco ... O visual é até bonito, com uma forte coloração rubi com reflexos violeta no líquido límpido e brilhante. Aroma, quase imperceptível : depois de uns 20 minutos de aberto, o vinho simplesmente não tinha aroma nenhum.

Na boca, a total falta de acidez caracterizava aquilo que alguns enófilos gostam de chamar de vinho chato, sem vida e sem graça. Permanência, zero ...

Em suma : fique com um bom argentino, chileno, ou mesmo um brasileiro. Mesmo eu, que não sou grande fã dos tintos brasileiros, lembro que semanas atrás tomei um Dal Pizzol Gamay Beaujolais 2007 muito superior a este.

Deixemos ao Egito sua história maravilhosa, seus monumentos de cair o queixo, seus museus fabulosos. Vinho ? Esqueça ...

Mas agradeço muitíssimo ao Gerson pela experiência que me proporcionou - onde mais eu poderia encontrar um vinho do Egito ?

A garrafa até que é bonitinha, convenhamos !

Nenhum comentário: